20.10.14

A boba...

As vezes me perco de mim mesmo.
Fico meio desligado, mergulhado em pensamentos.
Nesses dias loucos, estes são meus melhores momentos.
É porque neles fico mais perto de você amor. Pois isso é tentando te encontrar e te sentir.
A boba dessa distância só pensa que te deixa longe.
Boba... ela nem sabe que há um atalho que sempre me leva até você, sempre que quero.
Ela nem sabe que o nosso amor, tem asas.

14.10.14

A dita tese da alternância...

Já está ficando chato escutar repetidas vezes o argumento de que: é preciso ter alternância no governo, por que o PT já está a muito tempo no poder. A ideia por si só já basta para se anular, afinal, poderíamos facilmente afirmar doze anos para o Brasil não é muito tempo. E que neste tempo e em condições normais de temperatura e pressão só duas coisas podem ocorrer: nada, ou pouca coisa.

Logo, um governo de esquerda em um país que viveu quase quatrocentos anos em regime de escravidão, servindo de colônia e que passou por transições conservadoras até uma recente e frágil democracia sustentada em poucos e parcos direitos e garantias sociais, certamente precisa de algum tempo para conseguir realizar qualquer transformação ou mudança. E precisará de muito tempo caso queira que estas sejam profundas e permanentes.

Mas neste exato momento do ano de 2014, aonde a eleição presidencial chega ao segundo turno pondo em disputa dois projetos antagônicos, a tese da alternância de poder tão fácil de ser repetida, precisa ser analisada com todo o cuidado possível.